Há espaço para o amor no “sugardating”?

O conceito de “encontros com dinheiro evolvido” e a relação entre dinheiro e amor têm sido temas de debate durante vários anos. Por essa razão, é normal que se pergunte: será que pode um SugarDaddy encontrar amor se houver dinheiro envolvido? Pode uma SugarBaby desvalorizar o dinheiro e apaixonar-se de facto por um SugarDaddy?

O site sugardaters.pt parte de um princípio específico: o uso de meios financeiros é uma componente importante do processo de encontros. No entanto, é precisamente esta a componente que provoca alguma controvérsia em torno do nosso website. Por um lado, há quem ache que o dinheiro só atrai mulheres interesseiras. Por outro, há quem decida estereotipar a relação SugarDaddy/SugarBabe e questionar o seu valor moral.

Mas será que o dinheiro necessariamente destrói uma relação? Ou será que faz o contrário, promovendo um romance onde ele à partida não existia? E será que o dinheiro só atrai mulheres interesseiras ou também mulheres honestas?

Todos somos humanos. Os homens estão geneticamente programados para procurar mulheres que sintam que lhes vão dar bebés saudáveis e bonitos. As mulheres, pelo contrário, estão programadas para procurar homens que tenham condições para tomar conta delas e da família. No entanto, o facto de estas serem as necessidades inatas e que fazem parte do nosso sub-consciente, isso não quer dizer que estejamos desprovidos de sentimentos. É isto que distingue os humanos de todos os outros animais.

Na Escandinávia, onde o site Sugardaters é o maior “sugar-dating” site, há inúmeros casos de SugarBabes que descobrem o amor em SugarRelações. Ainda que comece por sera uma relação benéfica para ambos os lados e com base no dinheiro,  ligação acaba por crescer e expandir-se.

Concluindo, podem as SugarBabes apaixonar-se? Sem dúvida. O dinheiro não compra amor, mas  cria a oportunidade de existir um encontro e quem sabe algo mais. Por isso mesmo, o “Sugardating” potencia tanto o amor como qualquer outra forma ou conceito de encontro.